• 25 Mar
    O deputado federal Ricardo Barros (PP) foi um dos palestrantes do "5º Seminário Airport Infra Expo - Gestão de Aeroportos" que acontece em Brasília. Barros destacou a importância do fortalecimento dos aeroportos regionais e detalhou a experiência do Aeroporto Regional de Passageiros e Internacional de Cargas de Maringá, que é gerido pelo município e avaliado como um dos mais eficientes do Brasil. O parlamentar paranaense apresentou a atual estrutura do Aeroporto, com demonstrações de estatísticas e explicou o projeto do Polo Aeronáutico previsto para ter um novo terminal de passageiros, shopping center regional e um terminal multimodal rodoferroviário. "O Paraná e o município de Maringá negociam investimentos voltados a indústria aeronáutica", disse. A Airport quer acelerar o desenvolvimento do setor aeroportuário na América Latina e ter ao menos um aeroporto brasileiro entre os 30 melhores do mundo até 2021. Durante hoje e amanhã, empresários, engenheiros, operadores gerentes técnicos e profissionais de alto nível vão tentar identificar as principais necessidades do setor e promover, por diferentes meios, discussões para a elaboração de novas diretrizes que possam modernizar o setor e superar os desafios impostos pelas deficiências atuais. Entre os tópicos abordados durante os seminários estão, o futuro da malha aérea brasileira com o desenvolvimento dos aeroportos regionais: ligações ponto a ponto, ligações “hub & spoke" e “hub by pass”, desafios da regulamentação técnica, desafios para desenvolver o melhor formato custo-benefício para o aeroporto, tecnologias, desenvolvimento urbano e meio ambiente. O evento tem o apoio de organizações nacionais e internacionais como a INFRAERO (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), SAC (Secretaria de Aviação Civil), ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e IATA (International Air Transport Association).
  • 11 Mar
    O deputado federal Ricardo Barros anunciou hoje a aprovação de R$ 37 milhões do ministério da Integração Nacional para o Paraná. Os recursos serão destinados às cidades que necessitam de obras de recuperação após as enchentes ocorridas em 2014, quando mais de 100 municípios paranaenses foram castigados pelas chuvas. “Estive em audiência com o ministro da Integração, Gilberto Occhi, e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, Dr. Adriano Pereira Junior, e a verba foi autorizada para o atendimento aos munícipios afetados. É um recurso essencial para algumas cidades do Paraná que necessitam de reconstrução.”, disse Barros.
  • 11 Mar
    O deputado federal Ricardo Barros se reuniu em Brasília com o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Idilvan Alencar, e o secretário executivo do MEC para o Fies, Luiz Cláudio Costa. Segundo o deputado, todos os 1.900.000 contratos com o Fies serão renovados conforme capacidade do sistema até final de abril e serão pagos retroativo. Para novos contratos, a expectativa é de atender mais de 200 mil alunos. O programa cobre de 50%, 75% e 100% da mensalidade dos estudantes matriculados em instituições de educação superior não gratuitas. O prazo termina no dia 30 de abril.
  • 00
    A Câmara dos Deputados analisa o Projeto de Lei (PL) 3/15, do deputado Ricardo Barros (PP-PR), que torna obrigatória a presença de câmeras de monitoramento em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) em hospitais públicos e privados. De acordo com o projeto, as câmeras de monitoramento devem estar direcionadas aos leitos e demais áreas utilizadas pelos pacientes, inclusive nos locais onde são manipulados medicamentos e materiais utilizados. Ricardo Barros considera a medida necessária para monitorar os procedimentos tomados nas UTIs e para “preservar a integridade do paciente e dos profissionais de saúde”, já que “as unidades de tratamento intensivo são áreas de acesso restrito aos acompanhantes de pacientes, muitas vezes em estado de inconsciência, ficando sob a responsabilidade de enfermeiros e médicos”. O texto estipula o prazo de 90 dias para que os hospitais se adaptem às novas regras. Tramitação A proposta será analisada de forma conclusiva pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Fonte: Agência Câmara
  • 01 Out
    A poucos dias da eleição, os candidatos a deputado estadual e federal aceleram as campanhas em suas bases eleitorais. Maria Victoria (PP), que deve disputa sua primeira eleição à Assembleia Legislativa, faz campanha em Maringá e região. A agenda desta quarta começou cedinho com visitas em empresas e segue com carreatas, caminhadas e reuniões até as 20h30. A jovem candidata percorreu nos últimos meses mais de 50 cidades no Noroeste e em Curitiba e na Região Metropolitana da capital. Já Ricardo Barros (PP), que concorre a deputado federal, tem eventos hoje em 14 cidades entre o Noroeste e o Norte do Estado. Com caminhadas e visitas ao comércio, Barros passa por Ângulo, Atalaia,Lobato,Cruzeiro do Sul, Paranacity, Colorado,Alto Alegre,Santa Fé, Munhoz de Mello, Iguaraçú, Astorga, Sabáudia, Arapongas e Mandaguaçú. Barros fez campanha em cerca de 80 municípios nesses últimos dois meses e meio.
  • 02 Set
    O candidato à deputado federal Ricardo Barros (PP) recebeu a declaração de apoio de políticos e lideranças importantes de Maringá e região. Os pronunciamentos foram feitos durante a inauguração do Comitê em Maringá, que foi realizado neste sábado (30) pela manhã. Um dos primeiros a se pronunciarem foi o senador Wilson de Matos Silva, que ressaltou a importância em apoiar pessoas que verdadeiramente trabalham pelo desenvolvimento do Estado. “Dizem que voto não tem preço, isso é verdade, mas tem conseqüência. Por isso, temos que nos empenhar para eleger os melhores. Ricardo é um homem que trabalha arduamente para o desenvolvimento de Maringá e do Paraná, trabalha 18 horas por dia, quem o conhece sabe”, ressaltou. Cida Borghetti (Pros), candidata à vice-governadora de Beto Richa, também estava presente. “Quando Ricardo aparece em Brasília, os deputados dizem, Cida empresta ele um pouquinho que nós precisamos de uma orientação dele”, ressaltou ela, que também é esposa do candidato, mostrando a liderança que Barros possui mesmo quando está sem mandato em Brasília. Dentre os que declararam apoio, também destacam-se prefeitos, vereadores, lideranças do governo do Estado, presidentes de bairros, dentre outras autoridades de Maringá e região. Confira abaixo alguns deles: “Ricardo é companheiro que não larga companheiro nenhum sentado ao longo do caminho, quem o conhece, sabe muito bem disso ”, Roberto Pupin, prefeito de Maringá. “Falar de Cida e Ricardo é sempre um prazer. Há muitos anos na política em que trabalhamos juntos e desse tempo só tenho a agradecer, por isso, estamos com eles”, Janilson Marcos Donasan, prefeito de Ourizona. “Nosso município tem um compromisso com toda a região, por isso vamos ajudar Maria Victoria, Ricardo Barros e Cida Borghetti nessa eleição”, André Luis Bovo, prefeito de São Jorge do Ivaí. “Ricardo dispensa comentários, sempre trabalhou muito por toda a região. Só assim, com os deputados empenhados, nós vamos fazer um bom trabalho para toda a Amusep”, José Roberto Ruiz, prefeito de Floresta.
  • 27 Ago
    Candidato a deputado federal pela quinta vez, Ricardo Barros e a jovem Maria Victoria, que concorre pela primeira vez a uma vaga na Assembleia Legislativa, inauguram o Comitê neste sábado em Maringá. A inauguração será às 9h, na Avenida João Paulino Vieira Filho, 625. Ricardo Barros já foi prefeito de Maringá, quatro vezes deputado federal, concorreu ao Senado em 2010 - com votação expressiva de 1 milhão e 190 mil votos -, foi secretário de Industria e Comércio do Paraná, coordenando o Programa Paraná Competitivo, que gerou em sua gestão 25 milhões em investimento. No Congresso Nacional, Ricardo é reconhecido pela sua capacidade de articulação. Para o Paraná, conquistou recursos federais para mais de 200 municípios. Ricardo Barros quer continuar trabalhando pelo Paraná. “Na Câmara Federal, defenderei também o fortalecimento dos municípios, os valores da família, mais recursos para a saúde e o agronegócio”. Maria Victoria é uma das lideranças jovens da política paranaense. Filha de Ricardo Barros e da candidata a vice-governadora Cida Borghetti, a jovem nasceu quando seu pai era prefeito de Maringá. Se preparou, estagiou na China e participou de projetos humanitários na África. Como presidente da Juventude Progressista do Paraná, percorrendo as quatro regiões do Estado, levando sua mensagem sobre a participação do jovem na política. Entre suas propostas, estão a inclusão do inglês nas escolas.“Na Assembleia, trabalharei para viabilizar mais recursos para saúde e lutar pela implantação do inglês nas escolas desde o ensino infantil. Defenderei também a transparência na política”, diz Maria Victoria. Cida A candidata a vice-governadora Cida Borghetti, que está andando em todas as regiões do Paraná, também estará presente. O evento deverá reunir diversas lideranças de Maringá e região, dentre eles o prefeito de Maringá, Roberto Pupin.
  • 01 Abr

    Com mais de R$ 26 bilhões em investimentos industriais confirmados, Ricardo Barros deixou, no fim de março, a secretaria da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul com a sensação do dever cumprido. De saída para disputar uma cadeira na Câmara Federal agradeceu ao governador Beto Richa a oportunidade de servir ao Paraná.

     

    “O Paraná Competitivo, programa que tive a honra de coordenar, já contabiliza mais de R$ 26 bilhões em novos investimentos que estão gerando 180 mil empregos em todas as regiões do Estado. A confirmar as negociações em andamento, afirmo que o valor deve superar os R$ 30 bilhões até o fim do ano. É um dos maiores avanças da história do setor industrial paranaense”, afirmou em correspondência entregue em mãos ao governador.

     

    Barros destacou também as parcerias com o BRDE e a Fomento Paraná na criação de políticas públicas para melhorar o ambiente de negócios para os empresários do Estado. "Como resultado dados do Banco Central, IBGE e do Ipardes apontam que a economia do Paraná conseguiu se descolar da nacional e cresceu num ritmo muito maior. Nosso PIB cresceu 5 % contra 2,3 % do país. Fomos o terceiro Estado na geração de empregos com carteira assinada e a nossa produção industrial registrou aumento de 5,6%, a segunda melhor taxa do país".

     

    "Enfim, com uma política desenvolvimentista séria, moderna e arrojada conseguimos – junto com o suporte de companheiros de outras secretarias como a da Fazenda, Infraestrutura e Planejamento – devolver o Paraná ao caminho do progresso e da prosperidade", acrescentou.

     

    Antes da entrega da carta, Barros coordenou a reunião do comitê gestor Paraná Competitivo. O Governo do Estado incluiu mais oito empreendimentos no programa Paraná Competitivo. Foram concedidos benefícios fiscais para indústrias que investiram mais de R$ 40 milhões na instalação ou ampliação de unidades no Estado.Todas no interior. 

    Também fazem parte do comitê gestor os secretários Reinhold Stephanes (Casa Civil), Luiz Eduardo Sebastiani (Fazenda) e Cassio Taniguchi (Planejamento).

    ENQUADRAMENTOS - Foram beneficiados a construção da fábrica de suco da Agro Pratinha em Paranavaí (R$ 4,9 milhões) e mais sete ampliações de unidades. 

    A cooperativa Coasul expandiu o abatedouro de frangos em São João (R$ 11,7 milhões); o grupo GT Foods em Paranavaí para aumentar duas unidades: a de frangos e a que produz vegetais e pescados congelados (R$ 2,4 milhões); já a Romagnole ampliou a fábrica de materiais elétricos em Mandaguari (R$ 3,2 milhões). 

    Também receberam benefícios a ampliação dos abatedouros de frango da Granjeiro Alimentos, em Rolândia (R$ 8,9 milhões), e da Somave em Cidade Gaúcha (R$ 1,8 milhão); e a expansão da unidade da Ibema no município de Turvo (R$ 7 milhões).

    PROGRAMA - O Paraná Competitivo foi criado no início de 2011 para reinserir o Estado na agenda dos investidores nacionais e internacionais. O programa contempla uma série de medidas por meio da dilação de prazos para recolhimento do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), investimentos para melhoria da infraestrutura, comércio exterior, desburocratização e de capacitação profissional para tornar o Estado atrativo para novos empreendimentos produtivos que gerem emprego, renda, riqueza e desenvolvimento sustentável em todo o estado.  

  • 31 Mar

    O Governo do Estado incluiu mais oito empreendimentos no programa Paraná Competitivo. Foram concedidos benefícios fiscais para indústrias que investiram mais de R$ 40 milhões na instalação ou ampliação de unidades no Estado. O processo de enquadramento foi assinado nesta segunda-feira (31), em reunião do comitê gestor deliberativo do Paraná Competitivo, no Palácio Iguaçu. 

    O secretário estadual da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Ricardo Barros, destaca que todos os enquadramentos são referentes a investimentos realizados em municípios do Interior. "O incentivo ao crescimento desses empreendimentos no Interior é fundamental para a criação de mais renda e emprego e assim melhorar a qualidade de vida dos paranaenses", reforça. 

    Também fazem parte do comitê gestor os secretários Reinhold Stephanes (Casa Civil), Luiz Eduardo Sebastiani (Fazenda) e Cassio Taniguchi (Planejamento). 

    Em pouco mais de três anos, o Paraná Competitivo já consolidou mais de R$ 26 bilhões em novos investimentos, que estão criando 150 mil empregos em todas as regiões do Estado. A estimativa é de que até o fim de 2014 o programa atraia mais de R$ 30 bilhões e crie 180 mil empregos. 

    ENQUADRAMENTOS - Foram beneficiados a construção da fábrica de suco da Agro Pratinha em Paranavaí (R$ 4,9 milhões) e mais sete ampliações de unidades. 

    A cooperativa Coasul expandiu o abatedouro de frangos em São João (R$ 11,7 milhões); o grupo GT Foods em Paranavaí para aumentar duas unidades: a de frangos e a que produz vegetais e pescados congelados (R$ 2,4 milhões); já a Romagnole ampliou a fábrica de materiais elétricos em Mandaguari (R$ 3,2 milhões). 

    Também receberam benefícios a ampliação dos abatedouros de frango da Granjeiro Alimentos, em Rolândia (R$ 8,9 milhões), e da Somave em Cidade Gaúcha (R$ 1,8 milhão); e a expansão da unidade da Ibema no município de Turvo (R$ 7 milhões). 

    PROGRAMA - O Paraná Competitivo foi criado no início de 2011 para reinserir o Estado na agenda dos investidores nacionais e internacionais. O programa contempla uma série de medidas por meio da dilação de prazos para recolhimento do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), investimentos para melhoria da infraestrutura, comércio exterior, desburocratização e de capacitação profissional para tornar o Estado atrativo para novos empreendimentos produtivos que gerem emprego, renda, riqueza e desenvolvimento sustentável em todo o estado. 

  • 28 Nov

    O estímulo do Governo do Estado aos investimentos do setor produtivo geram oportunidades em todas as regiões do Estado. Com incentivos do programa Paraná Competitivo, indústrias e cooperativas agroindustriais estão criando milhares de empregos no Interior paranaense. 

    Levantamento do Ministério do Trabalho e Emprego aponta que o interior é responsável por 93,6% dos empregos industriais criados em 2013. "Com uma política dinâmica para atração de investidores e com o suporte às empresas paranaenses, de todos os portes, criamos o melhor ambiente para negócios no Brasil”, afirma o governador Beto Richa. 

    O governador reforça que além das multinacionais e dos grandes grupos, o Governo do Estado apoia diversos empreendimentos de capital paranaense. "Aqui, os impostos estaduais viram empregos e quanto mais ao interior, maiores são os benefícios", explica Richa. 

    Em menos de três anos, o Paraná já consolidou mais de R$ 25 bilhões em novos investimentos que estão gerando 150 mil empregos. “Vivemos o maior ciclo de industrialização da história do Paraná levando oportunidades de emprego e renda para todas as regiões”, diz Richa. 

    EMPRESAS - Entre as empresas do Estado beneficiadas pelo Paraná Competitivo destacam-se a Pro Tork (motos e acessórios em Siqueira Campos), Potencial Biodiesel (combustíveis na Lapa), Moinho Dona Alda (alimentos em Bom Sucesso do Sul), Los Paleteros (sorvetes em Barracão), Spaipa (bebidas em Maringá), Irmol (móveis em Guarapuava), Café Iguaçu (Cornélio Procópio), Averama (abatedouros em Rondon), Romagnolle (equipamentos elétricos em Mandaguari) e Conduspar (cabos em São José dos Pinhais). 

    Outro setor que recebe um forte apoio do Estado é o das cooperativas agroindustriais. Por meio de benefícios do Paraná Competitivo ou por financiamentos do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) cooperativas como a Capal, Agrária, Coamo, Unitá, Integrada e Copacol ampliam unidades e constroem novas fábricas. O setor deve fechar o ano investindo R$ 2,3 bilhões. 

    "São recursos que agregam valor a nossa produção agrícola e criam milhares de vagas no interior, sobretudo em pequenos e médios municípios", destaca o secretário da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul Ricardo Barros. 

    DESCONCENTRAÇÃO - A desconcentração dos investimentos é uma das marcas da atuação do BRDE. De 2011 até o primeiro semestre desse ano, o banco realizou operações com a iniciativa privada em 355 municípios paranaenses. Foram cerca de R$ 3 bilhões que ajudaram a impulsionar empreendimentos e facilitar a vida de empresários de pequeno, médio e grande porte. 

    Na mesma linha de desconcentração de investimentos é o trabalho da equipe do Banco do Empreendedor da Fomento Paraná. Voltado para ajudar micro e pequenos empresários do Estado, o Banco atuou em 191 municípios como suporte ao programa Bom Negócio Paraná que treina gratuitamente empreendedores. 

    Foram emprestados R$ 70 milhões em mais de 4,8 mil operações, os recursos são para capital de giro, obras, reformas, compra de móveis, instalações, montagens e aquisição de máquinas e equipamentos, compra de terrenos. 

BAIXE O JINGLE